quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Japão comemora 60 anos de Força Aérea com ‘voo’ sem sair do chão

A Força Aérea Japonesa comemorou nesta quarta-feira seu 60º aniversário e, para marcar a data, fez uma apresentação diferente com a participação de seus servidores.


Para comemorar o sucesso no ar, a unidade optou por não sair do chão. Os mecânicos e outros funcionários técnicos que nunca voam nas aeronaves tiveram a chance de dar uma voltinha em uma espécie de motoca em formato de avião.

Apesar de ter sido um evento interno, apenas para comemorar a data, os modelos de moto em forma de avião fizeram sucesso, e o relações públicas da Força Aérea Japonesa, Yasuhisa Furata, recebeu até pedidos para fazer a apresentação em outros países.

"Não há nenhum plano de levar isso para outros lugares ainda, mas se tivermos a chance de fazer isso, seria maravilhoso. Por enquanto, é só uma atividade do clube", disse Furata. 


Fonte: BBC via MSN Notícias - Foto: Reprodução

Duplo acidente aéreo completa 33 anos

Tragédias em Concórdia e Seara.


Trágica coincidência. Duplo acidente aéreo no mesmo dia, na mesma região e quase na mesma hora. Seus ocupantes iriam para a mesma cerimônia festiva. Na ocasião, a Rádio Rural de Concórdia, então pertencente ao grupo de empresas da Sadia, foi a fonte da informação dos sinistros acontecimentos para familiares, amigos, colegas das vítimas e dezenas de emissoras de rádio de todo o país. Lembro como se fosse hoje. Concórdia, 23 de setembro de 1981, quarta-feira. Eu trabalhava na Rádio Rural, única emissora da cidade, exercendo as funções de comunicador e diretor artístico.

Pois bem, aquela quarta-feira que se transformaria num fatídico dia, era para ser de festa, alegria, banda de música pelas ruas da cidade, foguetório e presença de autoridades de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Seria inaugurada a primeira loja de eletrodomésticos e eletroeletrônicos do grupo gaúcho JH Santos em território catarinense com ingredientes de um grande acontecimento. Seria.

O dia transcorria com o céu cor de chumbo e parte da população já vibrava com o voo baixo do primeiro táxi aéreo que chegava de Porto Alegre. Estavam nele, além do experiente piloto e proprietário do avião, Ercílio Caleffi, e da copiloto Marilda Zaiden de Mesquita (primeira mulher brasileira aviadora comercial); os passageiros Antonio Carlos Berta, então Secretário da Indústria e do Comércio do Rio Grande do Sul, Fábio Araújo Santos presidente da Federação das Associações Comerciais do seu estado e do Grupo JH Santos, o superintendente da MPM Propaganda, Adão Juvenal de Souza e José Carlos da Silva Reis, chefe do departamento de recursos humanos da JH Santos.

Aquela quarta-feira caminhava para o entardecer quando o pior aconteceu. O táxi aéreo chocou-se com um morro e explodiu em seguida diante de nossos olhos. No topo do morro, pedaços do avião em chamas e corpos irreconhecíveis queimados formavam o tétrico cenário. De repente alguém gritava destemperadamente por socorro. Era José Carlos da Silva Reis, o único sobrevivente dos seis tripulantes. Nos disse que estava na última poltrona da nave, sem o cinto, e que com o impacto seu corpo foi projetado para fora antes da explosão. Milagre, para ele. Ainda nos disse que as tripulações dos dois aviões mantiveram contatos através do rádio pelo menos uma vez.

Internado no Hospital São Francisco, de Concórdia, José Carlos no dia seguinte foi para o Hospital de Reumatologia de Porto Alegre. Nunca mais soube nada a seu respeito. Um outro passageiro teria sobrevivido mas não tenho dados. Enquanto estávamos aguardando ajuda para retirá-lo do local, o outro avião que partira de Florianópolis passava sobre nós. É claro que viram os destroços do outro. Ninguém duvidou disso.

Poucos minutos depois, meu Deus, chegava a notícia da queda do táxi-aéreo Camboriú provocando a morte de seus passageiros e tripulantes próximo ao município de Seara. Era muita coisa para um dia só!

No segundo acidente morreram o Secretário da Indústria e Comércio de Santa Catarina, Hans Dieter Schmidt, o Presidente da Associação de Comércio e Indústria de Santa Catarina, Lédio Martins, o empresário gaúcho Félix Araújo (irmão de Fábio que também morrera no outro acidente pouco antes), o comandante Keller, e o copiloto Rubens.

A equipe da Rádio Rural de Concórdia, que estava preparada para transmitir a festa de inauguração da primeira filial das lojas JH Santos em solo catarinense, acabou sendo porta-voz para todo o país, da inacreditável coincidência trágica. Do duplo acidente aéreo no mesmo dia, na mesma região, quase no mesmo horário. Foram dez mortos. Não tem como esquecer.

Fonte: Marcos Feijó (com a colaboração de Walter Filho) / radiorural.com.br - Foto: Reprodução

Pesquisadores criam robô que pilota aviões

Um pequeno robô criado por pesquisadores coreanos é capaz de pilotar aviões comuns, acionando os controles como faria um piloto humano.

Pibot: o robô aciona chaves no painel e controla o manche do avião

A expressão “piloto automático” pode ganhar novo significado em breve. Pesquisadores coreanos adaptaram um pequeno robô para pilotar aviões. Ele é capaz de decolar, voar até um destino especificado e pousar a aeronave. Para isso, o robô aciona os controles como se fosse um piloto humano.

Chamado de Pibot (contração de “pilot” com “robot”), o robô dos coreanos é, na verdade, uma versão modificada de um modelo comercial, o Bioloid Premium, da empresa Trossen Robotics.

Pesquisadores do Instituto Coreano Avançado de Ciência e Tecnologia (conhecido no Ocidente pela sigla em inglês Kaist) adaptaram esse robô para que pudesse operar os controles da aeronave.


Uma câmera instalada na cabeça do Pibot capta a imagem à frente. O software de controle analisa essa imagem para identificar a pista de pouso e outras referências visuais. A máquina também recebe, por meio de cabos, informações vindas dos instrumentos do avião.

Com base nas informações, o robô aciona o manche, os pedais que controlam o leme e o acelerador da aeronave. Ele também é capaz de ligar e desligar chaves no painel para, por exemplo, estender os flaps na hora do pouso.

O Pibot vem sendo testado num simulador de voo. No vídeo abaixo, ele pode ser visto conduzindo um avião Piper Comanche virtual num percurso que inclui a movimentação no aeroporto, a decolagem e o pouso.

David Hyunchul Shim, o líder do projeto, diz que o Pibot “vai nos ajudar a criar uma experiência de voo totalmente autônoma, que poderá substituir os pilotos humanos algum dia.” Confira o Pibot em ação nestes vídeos (falados em inglês): 



Fonte: Maurício Grego (Exame.com) - Imagens: Reprodução

Galeão, no Rio, investe em segurança para receber aviões de grande porte

Aeroporto Internacional quer subir da categoria 9 para a 10.

Com status, Galeão receberá aviões com até 600 passageiros.

Equipe de segurança fez simulação de incêndio para testar novos caminhões

Quatro caminhões de grande porte para o combate a incêndio em aeronaves começam a operar nesta quarta-feira (24) no Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Galeão, Ilha do Governador. O objetivo da concessionária Rio Galeão é melhorar a classificação do aeroporto do Rio para o receber aeronaves de grande porte, da categoria F, com dois andares e até 600 passageiros.

Segundo técnicos, a atual classificação do Galeão é 9 e a equipe pretende evoluir de patamar para a classificação 10 até o fim do ano. Se o status for atingido, o Aeroporto Internacional do Rio pode ser o primeiro da América Latina a operar voos regulares de aviões deste tipo. Ainda segundo os técnicos, o Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, é habilitado para tal, mas não receberia as aeronaves de forma regular.

De acordo com a Rio Galeão, os caminhões contra incêndio, de modelo Panther 6x6, são considerados os mais modernos do mundo e foram adquiridos com um investimento de R$ 10 milhões. Os veículos contam com câmeras térmicas e sensores de infravermelho que permitem visualizar os focos do incêndio mesmo que a aeronave esteja totalmente coberta pela fumaça.

Batismo dos novos caminhões de incêndio no Galeão

A operação dos carros ocorreu após uma espécie de batismo. Os novos caminhões passaram por um arco d'água feito pelos caminhões mais antigos. Além disso, uma simulação de incêndio foi feita em um avião da TAM para avaliar o tempo levado pelos caminhões para combater as supostas chamas, que foram feitas de fumaça.

"Estamos fazendo de tudo, nos preparando tecnicamente para receber os veículos de classe F, como os 747-800 e os A-380", disse Alessandro Oliveira, gerente de respostas de emergências do aeroporto. Segundo ele, há outras medidas que precisam ser adotadas para que o Galeão avance de classificação. "Começa desde tamanho e largura de pista, equipamentos de bombeiros, água [para apagar o fogo], veículos e tecnologia. Nós estamos fazendo uma compra muito grande de equipamentos", explicou. 

Aeroporto investiu R$ 10 milhões na compra dos caminhões

Alessandro ressaltou também que o número de homens disponíveis para uma emergência também aumentou de 111 para 160 para suprir a demanda das aeronaves que estão por vir. A mudança de status do Galeão também depende de uma autorização da Agência Nacional de Aviação (Anac).

Transporte da derrota brasileira


Ainda segundo o gerente, o único avião de grande porte, como o modelo 747-800, que pousou no Galeão foi da seleção da Alemanha após o fim da Copa do Mundo no Maracanã, em julho deste ano. A operação foi feita para levar a taça do mundial de futebol embora do Brasil, rumo ao país vencedor da competição. 

"Infelizmente esse foi o único que pousou no Galeão e precisou de uma autorização especial para levar os atletas", brincou.

Fonte e fotos: Guilherme Brito (G1 Rio)

Aeronave adulterada é apreendida em Sinop (MT) e conduzida ao aeroporto: piloto sem brevê é preso








A aeronave bimotor Embraer 810D Seneca III, prefixo PT-VDQ, que fez um pouso forçado na tarde desta terça-feira (23), foi escoltada no início da noite pela Equipe da Guarda Municipal e Polícia Civil até o Aeroporto João Figueiredo. O avião ficará apreendido até o final das investigações.

O Piloto J. L. de 64 anos foi preso por estar sem brevê (documento que dá ao seu titular a permissão para pilotar aviões) e sem autorização de voo. Ele não explicou de onde estava vindo e para aonde estava indo. Segundo piloto, “uma pane seca (falta de combustível) obrigou ele a pousar naquele local”. 

 A Polícia Civil está investigando a quem pertence a aeronave e os motivos que levaram o piloto sem brevê e sem autorização estar voando. Pedaços de fita adesiva colorida estavam sendo usados para adulterar o prefixo do avião, que passou de PT-VDQ para PT-VDO

O piloto pode responder pelo ato, já que pilotar aeronave sem brevê, é contravenção penal e esta alocada no artigo 33 da Lei de Contravenções Penais, que diz. “Pilotar aeronave sem licença caracteriza contravenção penal, que é passível de pena de prisão de 15 dias a 3 meses, além de multa”. 

Fonte: portaldesinop.com.br - Fotos: Marcos Silva

Aeronave faz pouso forçado próximo a condomínio de luxo em Sinop (MT)

O Corpo de Bombeiros foi acionado, a princípio para uma possível queda de avião. O piloto estava sozinho na aeronave e não se feriu. 





Uma aeronave bimotor Embraer 810D Seneca III, prefixo PT-VDO fez pouso forçado na tarde desta terça-feira (23) em uma área gradeada, próximo ao Residencial Mondrian em Sinop (MT).

O Corpo de Bombeiros foi acionado, a princípio para uma possível queda de avião, como relata Major Rony, 

“Uma vez que foi acionado o corpo de bombeiros para uma possível queda de aeronave, fomos deslocados imediatamente para o local informado. Aqui constatamos que se tratava de um pouso forçado e não se encontrava vítimas, apenas danos materiais”, relata o Major. 

O piloto estava sozinho na aeronave e não se feriu. A Polícia Civil esteve no local e passa a investigar a procedência da aeronave, pois o piloto estava distorcendo as informações de onde vinha e para onde estava indo. Ele também não soube informar o proprietário da aeronave.

Fonte: Portal de Sinop via expressomt.com.br - Fotos: Marcos Silva

Avião da TAP desviado por causa de "emergência médica"

Voo com destino a Lisboa foi desviado para Bordéus, para garantir auxílio médico a um passageiro que se sentiu mal a bordo.

Uma emergência médica a bordo forçou um voo da TAP, que fazia a ligação Paris-Lisboa, a alterar a sua rota. 

Segundo André Soares, porta-voz da empresa, o avião foi "desviado para o aeroporto mais próximo, conforme é procedimento habitual nestas circunstâncias", para que o passageiro possa ser "devidamente assistido".

Resolvida a questão com o passageiro, o avião pôde partir para Lisboa. "É até provável que os passageiros já venham a caminho", acrescentou ao Expresso o mesmo representante da TAP.

Fonte: Mafalda Ganhão (expresso.sapo.pt)

Após mortes de passageiros, médico no AM orienta cuidados em voos

Duas mortes súbitas foram registradas nesta semana, em Manaus.

Voos longos podem favorecer tromboses e embolia, diz cardiologista.


Alguns passageiros devem ir ao médico antes de voar, diz especialista (Foto: AP) Hipertensão, trombose e embolia pulmonar são alguns dos problemas que podem ocorrer durante viagens demoradas, quando os passageiros ficam horas sentados. O alerta é do médico cardiologista Luis Otávio de Souza Carvalho. Para evitar complicações, consultas antes das viagens e atividades - como alongamentos e breves caminhadas - durante os trechos podem evitar complicações e até mesmo mortes. No último domingo (21) e segunda-feira (22), duas mortes súbitas de passageiros foram registradas no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na Zona Oeste de Manaus.

Para o médico, passageiros fumantes, grávidas, cardiopatas e obesos estão no grupo de passageiros que precisam de atenção durante viagens demoradas, quando se passa muito tempo sentado. "São situações que favorecem, que podem ocorrer em viagens prolongadas. Não só em aéreas, mas terrestres, que o passageiro fica sem se movimentar por horas, que o passageiro não pode estar se levantando toda hora", disse ao G1. 

Além de tromboses e embolia pulmonar, causados diretamente pelo comprometimento da circulação sanguínea, problemas no coração podem ser acionados pela ansiedade e medo de voar. "Outro problema são os pacientes ansiosos. Às vezes são hipertensos em estado de estresse, que podem ter um pico de hipertensão e podem ter um evento em pleno voo", alerta. 

Durante as viagens, para evitar a formação de tromboses e melhorar a circulação sanguínea, o cardiologista recomenda que passageiros não passem mais de duas horas sentados. "Mesmo sem vontade de ir ao banheiro, vá até lá no avião, só para caminhar. Tem que se levantar, tem que se movimentar. Só de movimentar a panturrilha já faz uma diferença. Não se pode ficar muito tempo sentado", afirma.

Em alguns casos, mesmo sem apresentar quadro de crise ou sintomas de doenças é preciso ir ao médico antes das viagens, diz o cardiologista.

"No caso do cardiopata, ele tem que procurar o médico dele antes que qualquer viagem. O paciente que tem um marca-passo, desde o momento que o coloca, o médico já fala para ele que não pode passar no detector de metal. Ele tem um campo magnético que pode interferir. Nesses casos, de quem tem deficiência cardíaca, ou é obeso hipertenso, diabético, com problemas de varizes, tem probabilidade de formar trombo. Gestantes têm que ir ao médico para ver se tem condições de viajar. No caso de paciente com risco, o médico pode passar anticoagulantes, ansiolíticos, tranquilizantes", destaca Luis Otávio.

Duas mortes 


Um passageiro morreu após passar mal em uma aeronave da TAM Linhas Aéreas, na manhã desta segunda-feira (22). Segundo a empresa, o passageiro teria saído de Nova York com destino a São Paulo. A aeronave fez pouso de emergência em Manaus para atender o passageiro. A Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) informou que o homem chegou a passar por reanimação cardíaca, mas chegou sem vida ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na Zona Oeste de Manaus.

Outro homem morreu no fim da manhã de domingo (21) na sala de desembarque do aeroporto na capital amazonense. Segundo a assessoria de comunicação da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) no Amazonas, o homem recebeu atendimento após passar mal, mas não resistiu. De acordo com a assessoria da Polícia Civil, ele era diabético e sofria de hipertensão.

Fonte: Leandro Tapajós (G1 AM) - Foto: AP

A nova empresa do co-fundador da Azul

Gerald Lee saiu da Azul para criar a Modern Logistics, que irá integrar cadeia produtiva, armazenamento, transporte e distribuição, com foco em transporte aéreo.


Uma equipe formada por ex-executivos da Azul Linhas Aéreas e da americana JetBlue Airlines se uniu para levar a logística brasileira às alturas. A nova Modern Logistics irá interligar toda a cadeia de produção com foco em transporte aéreo, como uma Fedex brasileira.

Clique AQUI para ler a notícia completa.

Universitários cariocas e capixabas constroem aviões para Competição SAE BRASIL AeroDesign

Encontro reunirá universitários do Brasil e do Exterior (Venezuela, México, Peru e Polônia) entre 30 de outubro e 2 de novembro, em São José Campos/SP.


Construir aviões radiocontrolados, em escala reduzida, capazes de transportar elevada carga é o desafio das 95 equipes, formadas por estudantes de engenharia do Brasil e do Exterior, que se inscreveram na 16ª Competição SAE BRASIL AeroDesign. A competição será realizada de 30 de outubro a 2 de novembro, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP. O Rio de Janeiro será representado por quatro equipes, oriundas de três instituições de ensino, e o Espírito Santo, por uma equipe.

Clique AQUI e leia a matéria completa.